poster Salam, Síria.jpg

“Salam, Síria” é o primeiro documentário brasileiro sobre a guerra civil da Síria que retratará o cotidiano de famílias sírias que escolheram três diferentes países para viver (Jordânia, Alemanha e Brasil) mostrando o passado, o presente e a perspectiva de futuro dos membros de cada família. O filme mostra os desafios, medos, esperança e amparo que estas famílias estão tendo e quem são os personagens por trás guerra e das ajudas humanitárias nas cidades de São Paulo (Brasil), Augsburg (Alemanha), Campo de Zaatari e Amã (Jordânia). Salam, Síria é o primeiro documentário brasileiro que rodará três países contando a história dos refugiados e ainda tendo em sua equipe quatro mulheres a frente do projeto: diretora e três produtoras (Joice de Oliveira, Jac Sanchotene e Rachel Klein).

Famosa pela História, culinária, cidades patrimônios da Humanidade (Alepo e Palmira), belas paisagens, planícies férteis e um povo trabalhador, a próspera Síria era um dos destinos mais procurados turisticamente na região do Oriente Médio. Banhada pelas águas do Mar Mediterrâneo e fazendo fronteira com Turquia, Iraque, Líbano, Jordânia e Israel, desde 2011, a Síria enfrenta uma guerra civil sem precedentes, na qual milhões de pessoas estão sofrendo as consequências. Mais de 480 mil pessoas já perderam a vida, cerca de 6 milhões saíram do país se refugiando em lugares como Jordânia, Líbano, Turquia e Europa. Além disso, mais de 10 milhões deixaram suas casas fugindo para outras cidades dentro do país. A questão dos refugiados sírios é um assunto mundial que atinge a todos.

Este filme é um documento para ficar na história do nosso país, e também, para registrar que a solidariedade está acima de qualquer horror armado.

21058973

De 18 a 28 de setembro de 2017 ANFITEATRO POR-DO-SOL

O encontro de oito escultores numa pedreira abandonada na Áustria, organizado pelo artista Karl Prantl em 1959, foi o primeiro Simpósio Internacional de Esculturas. Desde então, o legado da pedreira de Sankt Margarethen tem inspirado diversos eventos deste tipo pelo mundo, em dezenas de países, nos cinco continentes.

Simpósios internacionais de escultura já foram realizados em inúmeras cidades ao redor do mundo, como Lindabrunn, na Áustria e Hagi, no Japão (uma cidade conhecida por sua cerâmica), Penza, na Rússia, Changchum, na China e Bento Gonçalves, no Brasil.

Pode-se afirmar que os simpósios de escultura são uma tendência mundial no que se refere aos eventos culturais. O evento dá visibilidade internacional às cidades sede, favorecendo o turismo e o intercâmbio cultural e incentivando as artes de maneira geral, congregando artistas e sociedade.

No evento “I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESCULTURAS CIDADE DE PORTO ALEGRE”serão Realizadas e Expostas doze (12) esculturas, sendo dez (10) em mármore e duas (2) em sucata de metal. ·

Diminuir a distância existente entre a produção escultural e os agentes de divulgação das artes plásticas, dentre eles a mídia, marchand, arquitetos e o público de forma geral. · Proporcionar o contato próximo entre artistas de renome e o grande público através de execução das esculturas ao vivo.

Apoios: Prefeitura Municipal de Porto Alegre; AEERGS – Associação dos Escultores do Estado do Rio Grande do Sul.

Escultores Confirmados: Renato Brunello – São Paulo, Hidalgo Adams – Porto Alegre, Jorge Schröder – Bal. Camboriú.

Projeto incentivado pela Lei Rouanet Artigo 18º.

capitóliohorizontal

http://cinematecacapitolio.blogspot.com.br/

anany-de-las-misiones

Cena de Anahy de Las Misiones com a excelente atriz Araci Esteves

Me emocionei ao ver a programação prevista para a Cinemateca Capitólio que exibirá o filme Ahahy de Las Misiones e também “O Som ao Redor”. “Anahy me emociona por muitos motivos foi “meu primeiro filme” o primeiro filme que auxilei na captação*, nesse filme fiz muitos amigos e fiquei fã de tantos outros.   Entre os amigos que virei fã e já se foram está o Sérgio Silva diretor de “Anahy” e a Mônica Schmiedt produtora responsável. Com relação a Mônica minha convivência foi próxima e por muitos anos e alguns filmes, um relacionamento quase sempre tenso, mas repleto de admiração de ambas as partes. O desaparecimento prematuro da Mônica, faz até hoje meus olhos encherem de lágrima quando vejo ou ouço seu nome.

Para mim, “Anahy” é um dos mais belos filmes feitos no RS até hoje.

Valeu Mônica! Valeu Sérgio!

Obrigada Marquinhos Mello por esta linda e  emocionante programação.

Cinemateca CapitAnahy de las Misiones, O Som ao Redor e Crítico

CICLO DE CINEMA GAUCHESCO E FILMES DE KLEBER MENDONÇA FILHO EM CARTAZ

Nos dias 20 e 21 de setembro, a Cinemateca Capitólio recebe sessões especiais de Anahy de las Misiones, de Sergio Silva, dentro do Ciclo de Cinema Gauchesco, uma iniciativa do Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre, da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, do Instituto Estadual de Cinema de Rio Grande do Sul e da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, que celebram neste ano de 2016 acultura gaucha/gaúcha que irmana a Argentina e o Rio Grande do Sul, com exibições em três espaços da cidade, a Sala P. F. Gastal, a Cinemateca Capitólio e a Cinemateca Paulo Amorim.

A partir do dia 22 de setembro, a Cinemateca Capitólio exibe os dois primeiros longas-metragens do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho: Crítico, documentário sobre a crítica de cinema, e sua arrebatadora estreia em longa de ficção, O Som ao Redor.

Cinemateca Capitólio é um equipamento da Secretaria da Cultura de Porto Alegre. O projeto de restauração e de ocupação da Cinemateca Capitólio foi patrocinado pela PetrobrasBanco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES Ministério da Cultura. O projeto também contou com recursos da Prefeitura de Porto Alegre, proprietária do prédio, e realização da Fundação CinemaRS –FUNDACINE.

Anahy de las Misiones

(Brasil, 1997, 110 minutos)

Direção: Sergio Silva

1839, interior do Rio Grande do Sul. Anahy (Araci Esteves) é uma mulher forte dos pampas, mãe de quatro filhos, todos de pais diferentes. Carregando uma carroça, ela luta para sobreviver em plena Revolução Farroupilha. Indiferente às paixões políticas, seu objetivo é sobreviver mascateando com caramurus (defensores do Império) e farrapos (revolucionários) o que consegue pilhar dos mortos nos combates.

O Som ao Redor

(Brasil, 2012, 131 minutos)

Direção: Kleber Mendonça Filho

A presença de uma milícia em uma rua de classe média na zona sul do Recife muda a vida dos moradores do local. Ao mesmo tempo em que alguns comemoram a tranquilidade trazida pela segurança privada, outros passam por momentos de extrema tensão. Ao mesmo tempo, casada e mãe de duas crianças, Bia (Maeve Jinkings) tenta encontrar um modo de lidar com o barulhento cachorro de seu vizinho.

Crítico

(Brasil, 2008, 80 minutos)

Direção: Kleber Mendonça Filho

Setenta críticos e cineastas discutem o cinema a partir do conflito que existe entre o artista e o observador, o criador e o crítico. Entre 1998 e 2007, Kleber Mendonça Filho registrou depoimentos sobre esta relação no Brasil, Estados Unidos e Europa, a partir da sua experiencia como crítico.

GRADE DE HORÁRIOS

CINEMATECA CAPITÓLIO

20 a 25 de setembro de 2016

20 de setembro (terça)

17h – Anahy de las Misiones

19h30 – Anahy de las Misiones

21 de setembro (quarta)

17h – Anahy de las Misiones

19h30 – Anahy de las Misiones

22 de setembro (quinta)

17h – Crítico

19h30 – O Som ao Redor

23 de setembro (sexta)

17h – O Som ao Redor

19h30 – Crítico

24 de setembro (sábado)

17h – Crítico

19h30 – O Som ao Redor

25 de setembro (domingo)

17h – O Som ao Redor

19h30 – Crítico

“JOANA”

joana

Projeto de longa-metragem direção e roteiro de Flávia de Castro.  Produção da VídeoFilmes dos irmãos Walter e João Moreira Salles em co-produção com  a produtora francesa Les Films du Poisson de Yael Fogiel e  Laetitia Gonzales, ganhadora de inúmeros prêmios incluindo um Césars. Entre os atores estão Rodrigo Santoro e Simone Spoladore. Roteiro premiado internacionalmente.  As filmagens acontecerão no Brasil e na França. Neste momento distribuição garantida no Brasil e na França. Distribuição na América Latina e Europa em negociação. “Joana”será inscrito nos principais Festivais de Cinema do mundo. Temos para oferecer ao investidor de “Joana”diversos retornos de imagem. O cronograma estimado  é para que a preparação aconteça em maio e junho de 2017, as filmagens em julho e agosto de 2018 e que o filme esteja pronto para ser lançado em janeiro de 2018.

“Joana” conta com o apoio da Lei do Audiovisual Artigo 1 A .

Clique para visualizar o projeto

Oxigenio

GRAVAE-1

Série produzida pela PANDA Filmes em parceria com a RBS Tv, foi ao ar com um dos maiores índices de audiência no horário exibido.

A série “OXIGÊNIO” ser tornará um filme de longa-metragem com  novas cenas que serão filmadas em novembro na cidade de Rio Grande RS.

gris_1921_janela_aberta_impressao_em_tela-r4cd9fb1e0589498faa868d48f6021fb5_vdyka_xwzoe_324

O Projeto Coleção Janela das Artes propõe uma coleção de sete livros, para crianças das séries iniciais do ensino fundamental, consagrados à apresentação de seis artistas gaúchos, com diferentes suportes de criação: pintura (Maria Tomaselli), quadrinhos/cartum (Edgar Vasques), escultura (Vasco Prado), fotografia (Luiz Eduardo Achutti), gravura (Paulo Chimendes) e colagem (Dione Martins). Cada livro que compõe a Coleção será escrito com linguagem poética  e trará imagens coloridas mostrando o trabalho do/a artista. Um dos livros será totalmente branco, destinado à criação artística da própria criança. Há neste projeto preocupação com o desenvolvimento cognitivo, sócio afetivo e criativo da criança. Tal preocupação aparece também no modelo do livro. Trata-se de um livro dobradura (tipo fanzine) em que numa das partes serão dispostas, em perspectiva genealógica, imagens do trabalho do/a artista e, na outra, haverá a imagem inteira de uma de suas obras. As sete imagens poderão ser fixadas na parede compondo uma exposição de artes. O modelo do livro apresenta significativa plasticidade permitindo que a criança invente novas configurações: como janela para olhar através, galeria de artes, entre outras. Complementando o projeto, será disponibilizado um blog com o currículo e a fotografia de cada artista que compõe a Coleção, imagens de suas obras, comentários sobre a técnica utilizada por ele, uma pequena entrevista e algumas curiosidades e comentários sobre artes e literatura. Deriva da coleção uma série de atividades, entre elas oficinas para professores/as e também para crianças com a presença dos/as artistas e escritora. Além da sua distribuição, a Coleção estará em exposição, durante um mês, em uma unidade móvel em local de grande movimento tal como a Redenção.

 

Slide0001http://minima.fm/ do consagrado José Pedro Goulart.