Repercussão de projeto na mídia

Telas de Aldo Locatelli e José Sicart serão restauradas
Início do processo será na próxima terça-feira, na Igreja Nossa Senhora de Lourdes, na capital gaúcha
 
Óleo sobre tela “A Aparição da Virgem” (1962), de Aldo Locatelli, será retirada do altar central e levada para a lateral da nave da igreja, onde permanecerá por um período sendo restaurada | Foto: Luca Pedruzzi
A Igreja Nossa Senhora de Lourdes, que fica no bairro Azenha, em Porto Alegre, abriga significativas obras artísticas. Mas com o passar do tempo, a situação de conservação das pinturas se agravou visivelmente, o que demanda uma imediata intervenção de restauro. Após preparação e faceamento, a tela “A Aparição da Virgem” (óleo s/ tela, 1962), de Aldo Locatelli, será retirada do altar central da paróquia e levada para a lateral direita da nave da igreja, onde permanecerá por um período sendo restaurada. O seu deslocamento é necessário, pois o bastidor de metal que a sustenta precisa ser substituído por um de madeira. A ação está agendada para a próxima terça, dia 23 de fevereiro.
Está prevista, ainda, a recuperação de uma segunda tela de Aldo Locatelli “Sagrado Coração de Jesus” e “São José”, de autoria do artista espanhol José Riera Sicart. As duas pinturas de Aldo Locatelli (1915-1962) foram tombadas pelo município de Porto Alegre levando em conta a importância do trabalho do artista no estado gaúcho e das técnicas por ele utilizadas. Imprescindível mencionar que foram as últimas produzidas pelo artista ítalo-brasileiro antes de sua morte.
A atuação da equipe responsável pelo restauro, formada por Leila Sudbrak na supervisão geral do trabalho das restauradoras Maria Cristina Ferrony e Vivian Lockmann, é baseada nos princípios internacionais que regulamentam a restauração de bens culturais, dentro do padrão de conservação museológica, de patrimônio da humanidade, preconizados pelo Conselho Internacional de Museus. O projeto patrimonial tem patrocínio da Sulgás e Medlive, por meio do financiamento do Pró-Cultura do Governo do Estado do RS.
A iniciativa é realizada pela Mitra da Arquidiocese de Porto Alegre, sob a coordenação geral da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e o acompanhamento da Cúria Metropolitana de Porto Alegre.

Para viabilizar a restauração das outras duas obras, empresas podem aderir ao projeto, contatando a captadora Jac Sanchotene .

Novo projeto: Restauro das Telas de Locatelli e Sicart da Igreja de Lourdes

Tombadas pelo Município, as obras de Aldo Locatelli e José Sicart, foram reconhecidas como patrimônio artístico de Porto Alegre.

As histórias dos dois artistas caminham de mãos dadas com a história do Rio Grande do Sul.

Guardam oportunidades de estudo para estudantes, professores e pesquisadores.

Já hoje atrai visitantes locais, nacionais e internacionais, que se encantam, se impressionam, se comovem.

O projeto prevê a restauração de três telas situadas na Igreja Nossa Senhora de Lourdes localizada no Bairro Azenha. Duas delas são do renomado artista italiano Aldo Locatelli e estão tombadas pelo EPAHC. A terceira é de autoria do artista espanhol José Riera Sicart. As obras a serem restauradas estão no interior da Igreja.

Além do restauro e da conservação das telas para as futuras gerações o projeto pretende com essa ação valorizar o Bairro Azenha incluí-lo no roteiro cultural da cidade, a partir de um roteiro de visitas as obras dos artistas.

Ao fundo do altar tela de Aldo Locatelli “A Aparição da Virgem” ao lado a direita tela de José Sicart.



Detalhe de 'Sagrado Coração de Jesus' - Aldo Locatelli (1960), Igreja de Nossa Senhora de Lourdes, Porto Alegre
Sagrado Coração de Jesus
Aldo Locatelli trabalhava no painel “Sagrado Coração de Jesus”, ao falecer, em 1962. Em primeiro plano, vemos a imagem de Jesus, com o coração em frente ao peito. Ao fundo, observamos os anjos.

O projeto de restauro conta com o incentivo fiscal proporcionado pela Lei Estadual de Incentivo a Cultura baseado no tributo ICMS RS.

ANTONIETA, Uma Vida, Muitas Mortes

Antonieta foto Revista PiauíFoto: Revista Piauí

Longa metragem documentário  roteiro e direção de Betse de Paula. Produção Aurora Cinematográfica. Antonieta Campos Xavier, ou Dra. Baiana, como é mais conhecida a médica legista da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, nasceu em 1944 no Rio do Meio, Bahia. Filha de trabalhadores rurais e única mulher entre oito irmãos foi semianalfabeta até os vinte anos. A mudança de seu destino ocorreu quando foi morar no Rio de Janeiro com os donos da fazenda onde seu pai trabalhava: Sinval Palmeira e Maria de Lourdes. Campeã em necropsia de baleados (Perfurações com Armas de Fogo), o trabalho de Antonieta já despertou o interesse de jornalistas e esteve na página de diferentes publicações. O documentário pretende registrar a trajetória de Antonieta, nossa personagem principal, mostrando sua história de luta e superação, suas memórias, seu cotidiano, sua relação com os vivos e com os mortos e sua atividade profissional como medica legista e ainda promover uma reflexão sobre temas como educação, saúde e segurança pública. Realização pré estreia do filme em tela grande. Percorrerá os circuitos nacional e internacional de festivais de cinema e documentário.  Possibilidades  de  exibicão em TV  fechada e  no  mercado  nacional de home video e disponibilização do filme em diferentes plataformas da web, ampliando ainda mais as possibilidades de acesso.

– Inscrito na Lei do ISS do Rio de Janeiro – código WEC485

– Valor aprovado para captação – até R$ 450.830,00

Consulta Pública do Conselho Municipal de Cultura será segunda

conselho

A Secretaria Municipal da Cultura (SMC), em conjunto com o Grupo de Trabalho (GT) que prepara a proposta da nova formatação do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre (CMCPA), definiu a data de 1° de setembro para Audiência Pública. O encontro será a partir das 18h30, no Teatro Renascença.

As propostas para a nova lei que regulamenta o processo eleitoral e a composição do CMCPA, adequando-o ao Sistema Nacional de Cultura, estão disponíveis no site do Observatório da Cultura para receber sugestões de aperfeiçoamento até as 24h de domingo, 31 de agosto. Os interessados podem enviar contribuições por meio do endereço eletrônicoobservatorio@smc.prefpoa.com.br. As contribuições serão analisadas pelo Grupo de Trabalho nomeado pelo prefeito para esta finalidade, que dará forma final à proposta a ser enviada, pela SMC, ao Gabinete do Prefeito, para posterior envio à Câmara Municipal, ainda em 2014. 

Cronograma

Até as 24h do dia 31 de agosto – sugestões por meio do site do Observatório da Cultura

1° de setembro, 18h30 – Audiência Pública

Vacância do mandato – Conforme comunicado no Diário Oficial de Porto Alegre – Dopa, na edição de 28 de julho de 2014, o Município de Porto Alegre tornou público a vacância do mandato da Diretoria do Conselho Municipal de Cultura, até próxima eleição, tornando sem efeito quaisquer atos tomados em seu nome. A decisão foi baseada na legislação municipal que trata do Conselho Municipal de Cultura, em especial o que determina o parágrafo único do artigo 4º e o §1º, do art. 11, do Decreto Municipal nº 12.403/1999, que aprovou o Regimento Interno do Conselho Municipal de Cultura, criado pela Lei Complementar nº 399/1997.

Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada,

Cultura e Sustentabilidade

Seminário acontece no Galpão da Cidadania

Especialistas discutem a importância da Cultura como o quarto pilar para a sustentabilidade

Rio de Janeiro – O ministro-interino da Cultura, Vitor Ortiz, abriu hoje (19) pela manhã, no Galpão da Cidadania, o Seminário Internacional sobre Cultura e Sustentabilidade, realizado em parceira com a Cidade e Governos Locais Unidos – CGLU (em inglês UCLG).

O objetivo foi discutir a importância da Cultura para o desenvolvimento sustentável a partir de uma visão que contemple a economia criativa, as diversidades étnicas, sociais e religiosas, as particularidades locais e o direito de expressão cultural.

Também participaram da mesa de abertura o presidente da CGLU e prefeito da cidade de Istambul(Turquia), Kadir Topbas; o subdiretor geral de planificação da Unesco, Hans d’Orville; e o secretário municipal de Cultura do Rio de Janeiro, Emilio Kalil.

Para a ONU (Organização das Nações Unidas), o desenvolvimento sustentável reúne três eixos principais: o Social, o Econômico e o Ambiental. Especialistas, dirigentes de organismos internacionais, gestores culturais e artistas querem a inclusão de um quarto eixo, o Cultural, partindo da compreensão de que essa nova economia só será possível com uma mudança na forma como as pessoas entendem a sua relação com o planeta.

“Além dos pilares existentes, a cultura também é essencial para a sustentabilidade, mas ainda não conseguimos o consenso suficiente para tê-la no mesmo padrão que estão os outros pilares”, disse Ortiz, citando a Declaração de São Paulo, documento firmado em abril de 2012 entre os países membros do Mercosul, além da Bolívia, Chile, Equador e Peru, e que aponta nessa direção. Leia a Declaração.

O presidente da CGLU disse que não há como entender cultura e sustentabilidade de forma dissociada. “Desenvolvimento sustentável e cultura são elementos absolutamente interconectados”, citando o exemplo de Istambul como cidade em que o elemento cultural é decisivo para a formulação de qualquer política. “É uma cidade 8 mil e 500 anos de história, precisamos ver as cidades como espaços culturais”.

Hans d’Orville enfatizou que “a Unesco defende uma abordagem integrada dos aspectos culturais. Devemos progredir, colocando a cultura no centro do paradigma”.

O debate prosseguiu com novas formações, que incluíram o ministro da Cultura do Paraguai, Tício Escobar; o presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida e o presidente da Associação Sueca de Autoridades Locais, Anders Knape, além de especialistas internacionais.

Na plateia também estavam os secretários de Políticas Culturais do MinC, Sergio Mamberti, e de Articulação Institucional, Roberto Peixe, e o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim. A discussão prosseguiu à tarde com novos debatedores.

O que é a CGLU

A Cidade e Governos Locais Unidos – CGLU (UCLG, a sigla em inglês) é uma organização que reúne governos locais autônomos e democráticos. Forma uma rede mundial com a finalidade de representar os interesses das cidades por meio da cooperação entre as administrações locais e a comunidade internacional, aumentado a influência dos governos locais nas decisões em nível mundial.

As cidades que integram a rede assumem o compromisso de lutar contra o aquecimento climático e priorizar a proteção do meio ambiente; promover os direitos humanos e atuar em favor do respeito à diversidade como fundamento para a paz e o desenvolvimento; e apoiar a aplicação das Metas de Desenvolvimento do Milênio e da democracia local.

Fundada em 2004, com sede em Barcelona (Espanha), está presente em mais de mil cidades e 140 países de todas as regiões do mundo, com Seções Regionais na África, Ásia-Pacífico, Oriente Médio, América do Norte e América Latina. Você pode obter mais informações no site da organização.

O que é Economia de Baixo Carbono

A economia sustentável, ou economia de baixo carbono, é uma economia em que se procura minimizar as emissões de gases com efeito estufa (o carbono) de forma a reduzir as consequências das alterações climáticas, compatibilizando crescimento econômico com preservação ambiental.

(Texto: Ascom/MinC)
(Fotos: Caru Ribeiro)

INSCRIÇÕES PARA PROJETOS CULTURAIS ABRIRAM NESTA SEGUNDA

A partir desta segunda-feira (16/4) estão abertas as inscrições para projetos culturais de pessoas físicas e jurídicas de direito privado.

A inscrições estão abertas para projetos na área cultural, através do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), que em 2012 investirá R$ 10 milhões no Estímulo ao Desenvolvimento da Economia da Cultura do Estado.

Acesse aqui os Editais 
– Edital de Concurso “Desenvolvimento da Economia da Cultura Pró-cultura RS FAC” – Sociedade Civil 
– Edital de Concurso “Desenvolvimento da Economia da Cultura Pró-cultura RS FAC” – Prefeituras 

FAC 2012: maior investimento direto à cultura na história do RS

O Edital para seleção de projetos no valor de R$ 3,3 milhões (três milhões e trezentos mil reais) foi lançado no inicio de abril e te o diferencial de, ao invés de determinar áreas culturais, os textos propõem que cada segmento encaixe seu projeto em uma das finalidades do processo criativo, reforçando o conceito de Economia da Cultura. Assim, a seleção de projetos de todas as áreas culturais e artísticas acontecerá de acordo com cinco finalidades: Apoio à Criação e ProduçãoApoio ao Registro e à MemóriaApoio à Difusão e à CirculaçãoApoio à Programação Continuada em Espaços Culturais e Apoio à formulação de Indicadores, Informação e Qualificação.

Ainda no primeiro semestre de 2012, serão lançados os demais editais para concessão de apoio à programação em Feiras de Livro e a projetos de eventos com mais de cinco edições realizadas. O FAC também vai conceder Prêmios nas áreas de Artes Cênicas, das Artes Visuais, da Música e do Audiovisual. Projetos de educação patrimonial, de circulação de acervos históricos e de curadoria de acervos em museus públicos de artes visuais também compõem o conjunto dos 6 editais do FAC neste ano.

Fundo de Apoio à Cultura, estabelecido por lei em 2001, só teve um único edital lançado até hoje, em dezembro de 2010. Esta seleção distribuiu um valor total de R$ 880 mil reais em 2011.

Fonte: Secretaria de Estado da Cultura

Governo do Estado do Rio Grande do Sul anuncia editais e investimentos do Fundo de Apoio à Cultura – FAC

Imagem

O governador Tarso Genro anunciou ontem (03/04), na Casa de Cultura Mario Quintana, investimentos de R$ 10 milhões que permitirá à Secretaria da Cultura realizar os dois primeiros editais de Estímulo ao Desenvolvimento da Economia da Cultura, um para sociedade civil e o outro para prefeituras municipais. Estas duas primeiras seleções somam um total de R$ 5,3 milhões e já terão a primeira fase de inscrições aberta a partir do anúncio. A seleção de projetos de todas as áreas culturais e artísticas acontecerá de acordo com cinco finalidades: Apoio à Criação e Produção; Apoio ao Registro e à Memória; Apoio à Difusão e à Circulação; Apoio à Programação Continuada em Espaços Culturais e Apoio à formulação de Indicadores, Informação e Qualificação. No primeiro semestre de 2012, serão lançados os demais editais para concessão de apoio à programação em Feiras de Livro e a projetos de eventos com mais de cinco edições realizadas. O FAC também vai conceder Prêmios nas áreas de Artes Cênicas, das Artes Visuais, da Música e do Audiovisual. Projetos de educação patrimonial, de circulação de acervos históricos e de curadoria de acervos em museus públicos de artes visuais também compõem o conjunto dos 6 editais do FAC neste ano.